ARAÇATUBA | 22 SETEMBRO
| 15:40 | 20° MIN 32°MAX |
Parcialmente Nublado - Fonte: CPTEC/INPE
ObituÁrio
Anunciante
LUTO
Morre o advogado criminalista Jarbas Borges Rister, aos 82 anos
22/06/1936
23/06/2018
Anunciante

O advogado criminalista Jarbas Borges Rister faleceu na noite deste sábado (23), na Santa Casa de Araçatuba, aos 82 anos, completados nesta sexta-feira (22). Ele estava internado na UTI coronariana havia 13 dias, em decorrência de uma pneumonia.

Nascido em Araçatuba, no dia 22 de junho de 1936, Rister atuou no setor comercial e bancário antes de se formar em Direito, aos 50 anos de idade, e de se destacar por sua brilhante atuação no Tribunal do Júri.

Mais jovem, foi diretor de marketing da antiga Norogás, da família Geraldi, promovendo os famosos shows no palco montado no entroncamento das ruas Marechal Deodoro, Hermílio Magalhães e Virgílio Ribeiro, para o lançamento das promoções da loja.

As apresentações organizadas por ele atraíam grande público, que disputava os prêmios valiosos sorteados pela empresa dos irmãos Geraldi.

O então diretor de marketing contratava, na época, para os shows em Araçatuba, nomes como Moacir Franco, Nelson Gonçalves, Ângela Maria, Amâncio Mazzaroppi, Luiz Gonzaga, Tonico e Tinoco, Tião Carreiro e Pardinho, Francisco Petrônio, dentre muitos outros artistas da Música Popular Brasileira.

Depois, Rister foi gerente do Banco Mercantil de São Paulo. Aos 50 anos, conquistou o diploma de advogado, pelas Faculdades Toledo de Araçatuba, e descobriu-se um talentoso criminalista.

Durante 30 anos, frequentou o Tribunal do Júri com suas defesas brilhantes em casos, muitas vezes, complexos. Apaixonado pelo que fazia, tinha a arte de bem falar, o que impressionava os jurados e colegas de Fórum.

Muito atuante, só parou de exercer a advocacia quando a idade avançada não mais permitiu, há cerca de dois anos. Antes disso, porém, ensinou a profissão ao neto, Rodrigo Rister, a quem tinha como filho. “Tudo o que sei aprendi com ele, a forma de atuar, o caráter, a hombridade, ele foi o meu melhor professor”, declarou Rodrigo, que assumiu os casos do avô.

Paralelamente às atividades profissionais, Jarbas Borges Rister gostava de escrever poemas e crônicas sobre o cotidiano e fatos curiosos da família.

Era também muito bem humorado e sua marca registrada eram as piadas que gostava de contar. "Era difícil não rir quando estava com ele; tinha sempre uma piada para contar e fazia todos à sua volta gargalhar", afirma o advogado e vereador Alceu Batista de Almeida Júnior.

Ele se recorda de um velório em que foi com Rister e passou maus bocados para conter o riso após ouvir as histórias engraçadas de Rister enquanto velavam o corpo do falecido.

Segundo Alceu Batista, Rister também tinha o dom de desenhar. "Ele era um artista, gostava de desenhar pessoas, coisa que fazia até durante uma audiência", lembra.

Outro fato engraçado, conforme o colega advogado, ocorreu durante uma audiência, quando Rister escreveu em verso uma piada e entregou ao juiz do caso, que não conteve o riso. 

Além das piadas e da escrita, a música era outro hobby do criminalista. Possuía uma bela voz e adorava cantar, especialmente os sambas de Moreira da Silva.

Jarbas Borges Rister deixa a esposa Selma Barbom e o filho Carlos André - ele era pai também de Silvia, já falecida. Ele deixa ainda os netos Rodrigo, Amanda, Jarbas e André. 

O velório do criminalista será na capela da Funerária Cardassi da Avenida da Saudade, a partir das 23h30. O sepultamento está previsto para as 16h deste domingo (24), no Cemitério da Saudade.

 



Anunciante
O Araçatuba e Região não se responsabiliza pelas notícias de terceiros.
Entre em contato através do telefone ou whatsapp a seguir e saiba como anunciar aqui
(18) 99774 5888
Copyright © 2018 Política e Mais. Todos os direitos reservados.