ARAÇATUBA | 15 NOVEMBRO
| 8:9 | 22° MIN 31°MAX |
Pancadas de Chuva - Fonte: CPTEC/INPE
CIDADES
Anunciante
LUTA PELA VIDA
Na batalha contra a leucemia, Nando precisa de sangue e orações
Anunciante

O pequeno Fernando, de dois anos e nove meses, diagnosticado com leucemia no último fim de semana, está precisando de sangue. Ele está em tratamento no Hospital Amaral Carvalho, em Jaú, onde está recebendo altas doses de corticoide, para depois iniciar as sessões de quimioterapia.

O garotinho, chamado carinhosamente de Nando, é irmão gêmeo de Matheus, que tinha a mesma doença e faleceu em julho deste ano. A mãe dos meninos, Kátia Souza, disse que Fernando está bem, mas está com as plaquetas baixas em função da leucemia, por isso precisa da doação de sangue.

Nesta sexta-feira (19), ela fez um apelo nas redes sociais pedindo que as pessoas se dirijam ao Hospital Amaral Carvalho para doar qualquer tipo de sangue em nome de Fernando. “Assim como vocês sempre amaram e ajudar o Matheus, eu peço que hoje vocês amem e ajudem o Fernando”, diz um trecho da postagem.

Kátia se desculpou pela demora em dar notícias do filho na rede social e disse que está muito difícil ter de lidar com tanto sofrimento e medo. “Peço que orem por nós quatro: eu, meu esposo, Fernando e Léo, porque está sendo difícil demais pra nós”, afirmou.

Ainda nesta sexta-feira, Fernando deverá passar por um procedimento cirúrgico para a colocação de um porth-a carth, cateter que é fixado internamente, no peito do paciente, para receber as doses de quimioterapia.

Diferentemente de seu irmão Matheus, todo o tratamento de Fernando será feito em Jaú, porque a oncologista pediátrica do Hospital Unimed Araçatuba está em fase final de gestação e não terá condições de acompanhar o pequeno paciente nos próximos meses.

Fernando foi diagnóstico com leucemia no último fim de semana. O menino começou a ter febre na quarta-feira (10). Temerosos por causa do histórico de Matheus, eles levaram o garoto para o hospital na sexta. Após a realização de exames, receberam o diagnóstico da doença.

MEDULA

Além de sangue e de orações, a mãe de Nando pede que as pessoas se cadastrem como doadores de medula óssea. Ainda não se sabe se ele vai precisar do transplante, mas a mobilização em prol do garotinho já começou, haja vista a dificuldade em encontrar doadores 100% compatíveis. A chance é de achar um em cada cem mil.

“O caso do Nando requer mais atenção dos médicos por causa do histórico do Matheus e pode ser que ele precise do transplante”, diz Kátia. Ela lembra que, no caso do Matheus, o transplante foi descartado, inicialmente, mas a doença voltou um ano depois e ele acabou não resistindo.

Conforme ela, daqui a um mês, possivelmente, os médicos vão saber se Nando precisará realmente do transplante.

No Facebook, internautas criaram o grupo “Todos pela vida do Fernando”, para sensibilizar as pessoas a se tornarem doadoras de medula.

CADASTRO

Para se cadastrar como doador de medula óssea, basta se dirigir ao hemonúcleo mais próximo. O de Araçatuba fica na Rua Arthur Ferreira da Costa, 330, Aviação.

Ao se cadastrar como doador, a pessoa assina um termo de consentimento, preenche uma ficha com informações pessoas e depois é retirada uma pequena quantidade de sangue (5 ml) do candidato a doador. É preciso levar um documento de identidade.

O sangue do doador será analisado para identificar suas características genéticas que serão cruzadas com os dados de pacientes que precisam de transplante para verificar a compatibilidade.

As doações ocorrem quando há compatibilidade de 90% a 100%, ou seja, a combinação de genes do doador e do paciente deve ser idêntica ou muito próxima do ideal, para evitar o risco de rejeição.

Ao identificar um doador compatível com um paciente, o Redome (Registro de Doadores de Medula Óssea) entra em contato, por isso é importante manter os dados pessoais atualizados no cadastro nacional.

Para ser doador de medula, a pessoa tem que ter entre 18 e 55 anos; estar em bom estado geral de saúde e não ter doença infecciosa ou incapacitante. Pacientes com câncer, doença hematológica (do sangue) ou do sistema imunológica também não podem doar. O ideal é que a pessoa converse com seu médico pra que ele avalie caso a caso.

 

 

Veja a mensagem da mãe de Nando na íntegra

publicada nas redes sociais:

Bom dia amados!

Desculpem eu não ter postado nada ainda sobre o Fernando....mas é que foi tudo muito rápido e está sendo extremamente difícil lidar com tanto sofrimento e medo...
Peço que orem por nós 4...Eu, meu esposo, Fernando e pro Léo....pq está sendo difícil de mais pra nós....

Mas venho aqui em especial pedir que quem estiver aqui próximo e puder vir do hemonúcleo do hospital Amaral Carvalho em Jaú....doar sangue, pq está em falta...
E o Nando está precisando muito....
Assim como vcs sempre amaram e ajudaram o Matheus eu peço que hoje vcs amem e ajudem o Fernando...
Agradeço todo o carinho que temos recebido....
Deus abençoe cada um de vcs!

Kátia Souza - Mãe de Fernando, dois anos e nove meses, diagnosticado com leucemia.


Anunciante
O Araçatuba e Região não se responsabiliza pelas notícias de terceiros.
Entre em contato através do telefone ou whatsapp a seguir e saiba como anunciar aqui
(18) 99774 5888
Copyright © 2018 Política e Mais. Todos os direitos reservados.