ARAÇATUBA | 22 JUNHO
| 4:41 | 16° MIN 29°MAX |
Parcialmente Nublado - Fonte: CPTEC/INPE
CIDADES
EDUCAÇÃO
Mãe registra boletim de ocorrência contra escola de Araçatuba

A operadora de produção Patrícia Cristina de Souza Santos, 30 anos, registrou um boletim de ocorrência na tarde desta segunda-feira (11) contra a Escola Municipal de Ensino Básico “Silene Maria Barreto”, localizada no bairro São Rafael, em Araçatuba, alegando que seu filho foi esquecido por funcionários em um quarto, sem comer e nem beber, das 7h às 13h.

Ela contou que levou o pequeno Yago, de cinco anos, até o ponto onde passa o ônibus escolar, na Rua Três, no Bairro Águas Claras, no início da manhã. Por volta do meio-dia, quando voltou para buscar o filho no ponto de parada do veículo, foi informada pelo motorista que seu filho não estava na escola.

Desesperada, a mãe foi até a escola para saber o que havia acontecido. Após esperar por cerca de dez minutos, segundo ela, uma funcionária surgiu com seu filho, descalço e com cara de sono.

Na escola, a mãe foi informada que a professora de Yago, identificada como Amilsa, não foi trabalhar nesta segunda, por problemas de saúde, e as crianças da sala de seu filho ficaram sob os cuidados de uma professora substituta.

A mãe decidiu registrar o boletim de ocorrência porque considera que seu filho foi torturado. “Meu filho me contou que a funcionária da escola mandou as crianças deitarem de barriga pra baixo, pararem de chorar e ordenou que elas dormissem”, contou. O relato também consta do boletim de ocorrência registrado na Polícia Civil.

A mãe diz ainda que as funcionárias da escola só se deram conta de que as crianças estavam na escola quando elas começaram a gritar e a chorar. “Isso explica porque meu filho não estava no ônibus. Ele e as outras crianças foram esquecidos no quarto”, disse.

Patrícia conta que, no trajeto para casa, o filho pediu para fazer xixi. “Eu fiquei admirada com a quantidade de xixi que ele fez e perguntei o que havia acontecido. Foi quando ele me contou que tinha ficado no quarto com outras crianças, sem beber água e comer e sem ir ao banheiro”, declarou.

A mãe disse que o filho não quer voltar para a escola e espera uma providência por parte da Secretaria Municipal de Educação para que isso não se repita.

A reportagem do Araçatuba e Região enviou e-mail à assessoria de imprensa da Prefeitura e aguarda um retorno para saber o que o município e a Secretaria de Educação têm a dizer sobre o caso e que providências serão tomadas.


Anunciante
O Araçatuba e Região não se responsabiliza pelas notícias de terceiros.
Entre em contato através do telefone ou whatsapp a seguir e saiba como anunciar aqui
(18) 99774 5888
Copyright © 2018 Política e Mais. Todos os direitos reservados.