ARAÇATUBA | 9 DEZEMBRO
| 17:35 | 15° MIN 31°MAX |
Parcialmente Nublado - Fonte: CPTEC/INPE
CIDADES
Anunciante
MAIS MÉDICOS
Governo lança edital com 53 vagas para médicos em 16 cidades da região
Anunciante

O governo federal publicou nesta terça-feira (20) um edital para convocação de médicos que deverão substituir os cubanos no Programa Mais Médicos. Para a região de Araçatuba, há 53 vagas em 16 municípios. Em todo o País, são 8.517 vagas. As inscrições começam às 8h desta quarta-feira (21) e seguem até as 23h59 do próximo domingo (25).

O processo de seleção, lançado nesta segunda-feira (19) pelo ministro da Saúde, Gilberto Occhi, vale para médicos brasileiros e estrangeiros que tenham registro nos conselhos de medicina e diploma revalidado para atuar no Brasil.

O edital foi a forma encontrada pelo governo de substituir os médicos cubanos que deixarão o Mais Médicos, após mudanças impostas ao programa pelo presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL).

A lista com os inscritos para o programa será divulgada no dia 26 deste mês. A expectativa é que os médicos comecem a trabalhar já no dia três de dezembro. O prazo final para que eles se apresentem nos municípios escolhidos é sete de dezembro.

Se as vagas não forem preenchidas, um novo edital será lançado, desta vez para brasileiros formados no exterior e estrangeiros.

Os profissionais do Mais Médicos recebem uma bolsa-formação de R$ 11,8 mil, além de ajuda de custo inicial de R$ 10 mil e R$ 30 mil para deslocamento para o município de atuação.

VAGAS E CIDADES

Para o município de Araçatuba, estão previstas 23 vagas para substituir os 23 médicos cubanos que atuam na cidade desde o início de 2014. Há, ainda, oportunidades para médicos em Mirandópolis e Castilho, com 5 vagas cada; Andradina (3); Braúna (1); Glicério (1); General Salgado (2); Penápolis (2); Gastão Vidigal (1); Guzolândia (1); Itapura (1); Turiúba (1); Lavínia (2); Ilha Solteira (3); Santo Antônio do Aracanguá (1); Sud Menucci (1).

CORRIDA CONTRA O TEMPO

A previsão é que os médicos cubanos deixem o Brasil até 12 de dezembro, segundo a Opas (Organização Pan-Americana de Saúde). Em Araçatuba, no entanto, os profissionais deverão deixar os seus postos entre os dias 29 de novembro e 3 de dezembro, segundo informações extraoficiais obtidas pelos gestores da saúde municipal.

Segundo o Conselho Municipal de Saúde, 50 mil araçatubenses podem ficar sem assistência médica com a saída dos 23 médicos cubanos que atuam nas 19 UBSs (Unidades Básicas de Saúde) da cidade. Os profissionais da ilha caribenha atuam no município desde o início de 2014, meses após o lançamento do Mais Médicos no País.

“Este é um momento de transição e a Secretaria Municipal de Saúde está trabalhando e traçando estratégias para que tudo ocorra da melhor forma possível e que a população não fique sem assistência”, afirma a diretora da Atenção Básica da Secretaria, Aparecida Nava.

CONTINUIDADE

Uma das preocupações, segundo o presidente do Conselho Municipal de Saúde, Ricardo Machado, é que os novos profissionais contratados deem sequência ao trabalho dos cubanos.

“Se nós formos analisar, depois do início dos Mais Médicos, muitos indicadores da área de saúde na maioria dos municípios do Brasil melhoraram muito, inclusive em Araçatuba”, afirmou.

Ele destaca a medicina preventiva dos cubanos como um dos fatores que contribuíram para a melhoria dos índices da saúde. “O trabalho desenvolvido por eles é muito importante e não pode ser perdido. É necessário que se dê continuidade a isso. A saúde tem que ser tratada como política de Estado, não como política de governo”, defendeu.

RETROCESSO

Outra preocupação do Conselho Municipal de Saúde é que haja retrocesso ao modelo que existia antes do Programa Mais Médicos. “Era problemático, pois tínhamos médicos com três, quatro, cinco vínculos, para atender toda a população”, lembra Machado. “Muitos profissionais não cumpriam horários, não atendiam direito”, completou.

Conforme ele, para que alguns profissionais cumprissem toda a carga horária dos vínculos (funções) que desempenhavam, o dia precisaria ter mais de 24 horas.

“É até compreensível do ponto de vista corporativista, quando a gente vê o Conselho Federal de Medicina dizer que tem médico sobrando e que vai ser fácil resolver esta questão. Mas será que a gente vai achar com facilidade 23 médicos para trabalhar seis ou oito horas por dia ganhando o que qualquer recém-formado em medicina ganharia trabalhando seis ou sete plantões por mês?”, questiona.

Hoje, um médico da saúde da família recebe de R$ 8 mil a R$ 10 mil por mês para atuar entre seis e oito horas por dia. “Será que teremos médicos dispostos a trabalhar  na periferia, cumprindo horário e as regras todas do programa com esse salário?”, pergunta o presidente do Conselho.

GRATIDÃO

O conselheiro diz nunca ter recebido reclamação dos médicos cubanos. “Muito pelo contrário. Quando quisemos deslocar uma médica cubana de uma UBS para outra, recebemos até abaixo-assinado”, contou.

Membros do Conselho Municipal de Saúde e da gestão da saúde municipal deverão se reunir com os médicos cubanos nos próximos dias para agradecê-los pelo período em que ficaram na atenção básica.

“Queremos demonstrar a importância dos cubanos como profissionais e o impacto positivo da ação deles na saúde da cidade”, afirmou. Os 23 médicos cubanos que atuam em Araçatuba representam 41% dos profissionais da atenção básica do município, composta por um total de 56 médicos.

 

VAGAS DE MÉDICOS PARA A REGIÃO DE ARAÇATUBA

ARAÇATUBA – 23

ANDRADINA – 3

BRAÚNA – 1

CASTILHO – 5

GASTÃO VIDIGAL – 1

GENERAL SALGADO - 2

GLICÉRIO – 1

GUZOLÂNDIA – 1

ILHA SOLTEIRA – 3

ITAPURA - 1

LAVÍNIA – 2

MIRANDÓPOLIS – 5

PENÁPOLIS – 2

SANTO ANTÔNIO DO ARACANGUÁ – 1

SUD MENUCCI – 1

TURIÚBA – 1

 

 

 



 

 


Anunciante
O Araçatuba e Região não se responsabiliza pelas notícias de terceiros.
Entre em contato através do telefone ou whatsapp a seguir e saiba como anunciar aqui
(18) 99774 5888
Copyright © 2018 Política e Mais. Todos os direitos reservados.