ARAÇATUBA | 21 AGOSTO
| 7:9 | 17° MIN 31°MAX |
Predomínio de Sol - Fonte: CPTEC/INPE
CIDADES
brincadeira
Direção clínica da Santa Casa diz que fechamento do Hospital da Mulher é 'brincadeira de mau gosto'
A direção clínica da Santa Casa de Araçatuba se manifestou na tarde desta terça-feira (08), sobre o fechamento do Hospital da Mulher. O médico Sérgio Smolentzov classificou a decisão municipal como uma "brincadeira de mau gosto" e que a situação vai gerar uma crise de desassistência às gestantes do município.

Smolentzov disse claramente que a Santa Casa não possui hoje uma estrutura para assumir os serviços do HM, uma vez que possui condições apenas de atender casos de alta complexidade, que são pacientes com quadros clínicos que podem resultar em mortes de mães e bebês.

Para ele, por mais que o município decida interromper as atividades do HM, isso não poderia acontecer sem um consentimento tripartite, que envolve a secretaria municipal de Saúde, o Comus (Conselho Municipal de Saúde) e o DRS 2 (Departamento Regional de Saúde).

SANTA CASA DE ARAÇATUBA - SOBRE HM

Smolentzov teme pela instabilidade que o fechamento do HM vai causar à população. "É um hospital com estritura para receber pacientes com quadros normais de gestação. É onde a mãe tem a possibilidade de receber toda assistência necessária, com estrutura de baixa e média complexidade", afirma.

Para ele, o município tomou uma decisão atropelada e isso será colocado pela direção da Santa Casa em reunião que ocorrerá nesta quarta-feira (08), com dirigentes da Saúde municipal e do departamento regional, que é ligado à secretaria estadual de Saúde.

Segundo o diretor, hoje, a Santa Casa realiza por mês uma média de 80 partos por cesariana e de 4 a cinco normais. "Por que isso ocorre? Porque são pacientes com quadros graves. No hospital da mulher, a maioria dos cerca de 100 partos mensais ocorrem naturalmente", diz o médico. "Estão atropelando as coisas".

Questionado sobre o que pensa que irá acontecer com o futuro das grávidas de Araçatuba e cidades da região atendidas pelo HM, Smolentzov afirmou acreditar que, por conta da necessidade de não se abandonar as pacientes, o Hospital da Mulher acabará não sendo fechado. "É isso que eu penso, pois se fechar vai criar uma desassistência muito grande. Vai haver muita discussão e imagino que isso não vá se concretizar", avalia.

Foto: Alex Tristantechristian louboutin new faux shoes replicalouboutin louboutin copy usa
Anunciante
O Araçatuba e Região não se responsabiliza pelas notícias de terceiros.
Entre em contato através do telefone ou whatsapp a seguir e saiba como anunciar aqui
(18) 99774 5888
Copyright © 2018 Política e Mais. Todos os direitos reservados.