ARAÇATUBA | 19 JUNHO
| 16:49 | 13° MIN 26°MAX |
Parcialmente Nublado - Fonte: CPTEC/INPE
POLÍTICA E ADMINISTRAÇÃO
GERAL
CRIME BRUTAL: Assassino da própria namorada, com 13 facadas, é condenado a pena de 38 anos e 8 meses de reclusão
A Justiça de Araçatuba condenou, nesta quarta-feira (25), Rosielson Ferreira dos Santos, 25 anos, pelo assassinato de sua própria namorada, Fabiana Cesar de Andrade Ribeiro, na época com 33 anos, a golpes de faca. O crime ocorreu em outubro de 2016 e o agora condenado tentou também assassinar a mãe da vítima, Francisca Alzira Cesar de Andrade.

Conforme sentença proferida pela juíza Camila de Paiva Portero, em júri popular iniciado na manhã desta quarta-feira e concluso no período da tarde, Rosielson foi condenado a 38 anos e 8 meses de prisão pelo assassinato da namorada e pela tentativa de homicídio da mãe dela.

Na sentença, a magistrada determina que o réu, que já estava preso desde, continua detido mesmo que venha a recorrer da decisão. Ela entende que Rosielson deve continuar em custódia cautelar para assegurar o cumprimento da lei penal e garantia da ordem pública.

A condenação do então acusado se deu com base em denúncia apresentada pelo promotor de Justiça Adelmo Pinho. Que relatou como o crime ocorreu, por volta das 13h do dia 7 de outubro de 2016, em uma residência da rua Izamar, no bairro Primavera, em Araçatuba.

Para o promotor, Rosielson, por motivo fútil, usou de meio cruel para tirar a vida da namorada, sem que a mesma tivesse chances de defesa no momento em que foi atacada a facadas. Conforme a denúncia, o agora condenado mantinha com Fabiana uma relação amorosa conturbada, devido ao ciúmes que sentia da namorada.

No dia do crime, Rosielson foi até a casa de Fabiana e os dois discutiram. Ela propôs o término do relacionamento e, transtornado, ele se pegou uma faca e desferiu vários golpes nas costas da vítima, que estava deitada de bruços na cama.

O crime foi presenciado por uma filha de Fabiana. Ela gritou por socorro e a mãe da vítima, Francisca, foi até o local e tentou impedir que Rosielson continuasse com os golpes. A senhora foi atingida no rosto por um soco desferido pelo hoje condenado, que também a atingiu com uma facada nas costas, no intuito de matar a idosa.

Mesmo ferida, Francisca conseguiu chegar até a rua e pedir por socorro. Fabiana não resistiu a 13 facadas que lhe foram dadas pelo próprio namorado. Uma delas, atingindo seu coração, conforme a denúncia do Ministério Público.

Rosielson, após o pedido de socorro da mãe de Fabiana, fugiu da residência levando a faca usada nos dois crimes por ele praticados. Ele acabou se entregando no mesmo dia à polícia, após receber ligação de seu patrão. O responsável pelo crime se apresentou com ferimentos no peito, alegando que tentou se matar após assassinar a própria namorada. A faca usada no crime não foi encontrada.

SUSTENTAÇÃO NO FEMINICÍDIO

Ao pedir a prisão de Rosielson, o promotor Adelmo Pinho se amparou na lei de número 13.104, de 10 de março de 2015, que passou a configurar como feminicídio determinados crimes praticados contra mulheres.

O promotor chegou a pedir um levantamento ao Deinter 10 (Departamento de Polícia Judiciária de São Paulo Interior) sobre feminicídios ou tentativas praticados contra mulheres desde 2015 até este ano. Conforme levantamento, ocorreram um total de 13 crimes desta natureza, sendo um consumado em 2016, justamente o que levou Fabiana à morte.

"O feminicídio contra Fabiana foi cometido por meio cruel, considerando que causou na vítima intenso e desnecessário sofrimento ao lhe desferir treze golpes de faca em diversas regiões do corpo", observa o promotor.

Com o encerramento do julgamento, Rosielson, que estava detido na Penitenciária de Riolândia, pode até ser transferido para outra unidade. No entanto, ele continuará preso mesmo que venha a recorrer da condenação.

Imagem: TV Record.
Anunciante
O Araçatuba e Região não se responsabiliza pelas notícias de terceiros.
Entre em contato através do telefone ou whatsapp a seguir e saiba como anunciar aqui
(18) 99774 5888
Copyright © 2018 Política e Mais. Todos os direitos reservados.