ARAÇATUBA | 17 NOVEMBRO
| 22:31 | 21° MIN 32°MAX |
Poss. de Panc. de Chuva a Tarde - Fonte: CPTEC/INPE
ÓPTICA SONORA 8

Boas novas e ótimas vidas musicais a Todos.

COMO SURGIU O HINO NACIONAL BRASILEIRO

Por ocasião da Independência do Brasil, D. Pedro I, que era músico, compôs um Hino que passou a ser o nosso Hino da Independência do Brasil na noite de 07 de setembro de 1822, dia da Independência em São Paulo. Francisco Manuel da Silva, um músico amigo de D. Pedro I, também compôs um hino, na expectativa de ver a Pátria livre e passou a ser consagrado pelos brasileiros como HINO BRASILEIRO e passou a ser executado em todos os momentos históricos.

Em 07 de abril de 1831, por ocasião da abdicação de D. Pedro I, Ovídio Saraiva escreveu uns versos referindo-se aos portugueses de maneira agressiva e foi cantado com a música do Hino de Francisco Manuel da Silva e passou a ser chamado de HINO 7 DE ABRIL, executado pela primeira vez na partida de D. Pedro I no dia 13 de abril de 1831. Com a coroação de D. PEDRO II, o hino de Francisco Manuel da Silva foi cantado novamente com uma letra de autor ignorado, falando das virtudes de D. Pedro II.

Com a Proclamação da República em 15 de novembro de 1889, foi instituído um Concurso para a escolha de um Hino Nacional Brasileiro, com ideias republicanas, sendo convidados a participarem os músicos da época. O Concurso foi realizado no dia 20 de janeiro de 1890 no TEATRO LÍRICO do RIO DE JANEIRO, sendo vencedor o hino de LEOPOLDO MIGUEZ com letra de MEDEIROS E ALBUQUERQUE.

Após a execução do Hino vencedor, a Banda de Música começa a tocar o HINO de FRANCISCO MANUEL DA SILVA, antigo HINO BRASILEIRO e a plateia em pé aplaudia em delírio dizendo em coro: “QUEREMOS O VELHO, QUEREMOS O VELHO”. O então presidente da República Marechal Deodoro da Fonseca disse: “ EU TAMBÉM PREFIRO O VELHO”. E então foi lavrado o DECRETO nº 171 de 20 de janeiro de 1890 como HINO NACIONAL BRASILEIRO, o Hino de FRANCISCO MANUEL DA SILVA, SEM LETRA e o Hino vencedor como HINO DA PROCLAMAÇÂO DA REPÚBLICA de LEOPOLDO MIGUEZ com letra de MEDEIROS E ALBUQUERQUE.

A LETRA DO NOSSO HINO

Depois da consagração da Música, o governo institui um concurso, convidando os poetas brasileiros para apresentarem uma letra. Várias letras concorreram e em 1909 foi vencedora a de JOAQUIM OSÓRIO DUQUE ESTRADA. ALBERTO NEPOMUCENO, um músico brasileiro, fez umas alterações na letra para efeito de prosódia e foi oficializada pelo decreto 4559 de 21-08 de 1922, cuja publicação aparece no DIÁRIO OFICIAL na véspera das comemorações da INDEPENDÊNCIA DO BRASIL.

Na 8ª edição da coluna, nesse post temos a colaboração da querida Maria Zei Biagioni, agenda do SESI de setembro, artistas e obras, talentos e sensibilidades, que nos fazem flutuar pelas frequências e sonoridades de suas músicas. Divirtam-se !!!

Frase: “Toda a música é reflexo de uma época”, Tom Jobim.

 

Curiosidade: O site Mídia Interessante realizou uma pesquisa sobre as músicas brasileiras mais conhecidas no exterior e selecionou as 30 mais citadas por pessoas de diversas nacionalidades O pessoal fez a seguinte pergunta para os estrangeiros. Bem informal: “Me fale o nome de uma música brasileira que vem em sua mente? “Você sabe de mais alguma?”

http://midiainteressante.com/2015/05/as-30-musicas-brasileiras-mais-conhecidas-e-famosas-no-exterior.html

AraçaMusic - Família Querô

O mês de setembro começa com a lembrança de aniversário do nosso querido e saudoso Marco Antônio Queiroz, o conhecido Querô, o Querubim, o Querosene, o Tubarão...E agora o Vovô celestial. Sua filha, que reside em Genebra, a cantora Talita Querô e seu esposo Marc Genthon são os pais do Zack, o primeiro neto que chegou para dar continuidade à prole de artistas. Que esse moleque tenha o talento e sensibilidade artística do Avô e da Mãe, a música agradece e nós também. A genética sempre supera e aperfeiçoa suas qualidades nas futuras gerações. Saúde, Sorrisos e Sonoridades para a Família. Nos links abaixo, Querô Blues, uma canção histórica, presente em todas as apresentações do nosso virtuoso guitarrista, e Alimento d’Alma/Dançando sozinha do trabalho da Talita. Só conferir:

https://youtu.be/SJKbUkVborg
https://www.youtube.com/channel/UCcMmIGV5l2HQypW6-jAF5Sw

Piano - Eder Giaretta

Éder Giaretta é de Birigui, estuda piano desde a infância, cursou por nove anos, fez mestrado em música e se tornou regente. Gravou documentários importantes, se apresentou na Alemanha e fez concertos em várias cidades da França. Instrumentista virtuoso em técnica, velocidade e sentimento em suas digitações, seu talento diferenciado fez com que fosse escolhido para ser as mãos dubladoras do consagrado maestro João Carlos Martins no filme “João”, lançado em 2017. Devido sua versatilidade musical desenvolve diversos projetos que passeiam do erudito à MPB clássica com músicos e orquestras de renome internacional. Clique e assista a aula.

https://youtu.be/HyHH-6M0lMg

 

Coletânea Especial - O Grande Circo Místico

O Grande Circo Místico é um espetáculo musical brasileiro apresentado em 1983.Criado originalmente para o Balé Teatro Guaíra, de Curitiba, e Naum Alves de Souza roteirizou o poema homônimo do parnasianista/modernista Jorge Lima (da obra A Túnica Inconsútil, 1938),[1] o espetáculo foi preparado durante todo o ano de 1982 e estreou em 17 de março de 1983 mesclando música, balé, ópera, circo, teatro, e poesia. Tamanho o sucesso, originou uma turnê de dois anos pelo país, assistida por mais de 200 mil pessoas, em quase 200 apresentações. Consagrou umas das mais completas obras já apresentadas no país, lotando o Maracanãzinho e o Coliseu dos Recreios, em Lisboa. A trilha sonora foi musicada pela dupla Chico Buarque e Edu Lobo e conta a história do grande amor entre um aristocrata e uma acrobata e a saga da família austríaca proprietária do Grande Circo Knieps, que vagava pelo mundo nas primeiras décadas do século.

https://youtu.be/b39-EgLXI-o

 

Música - Rush - Spirit of Radio

https://youtu.be/FFpZFnJ6ZT8

 

Video: Beatles - While my guitar gently weeps

Composta por George Harrison, é a sua primeira música a ser executada no álbum The Beatles ou Álbum Branco de 1968. De acordo com Harrison, a inspiração para a música veio da leitura do "I Ching", que segundo ele foi baseada no conceito oriental de que tudo é relativo, em oposição ao conceito ocidental de que tudo é mera coincidência. Segundo George Martin, produtor conhecido como o "quinto Beatle", John Lennon e Paul McCartney subestimaram a música, que depois se tornaria um clássico. Eles a gravaram no dia 16 de agosto mais de 14 passagens, algumas acústicas e nenhuma agradou George. Ele dizia que Lennon e McCartney tocaram com muito desânimo e desdém "Eles não levaram o trabalho a sério e acredito que nem se esforçaram para tocá-la direito." Mas sua forma de revolta não poderia ser mais criativa: Eric Clapton disse que Harrison falava da música e de repente disse que "ele bem que poderia participar do disco" ao que Clapton respondeu: "Os outros Beatles não iriam gostar! "e George subitamente respondeu: "Não tem nada a ver com eles, a música é minha." Eric se encontrou rapidamente no estúdio com sua Gibson Les Paul, fazendo o solo da "guitarra que chora" e segundo Harrison: "A presença de Clapton no estúdio serviu para desanuviar as tensões entre o grupo e eles tiveram uma melhora em seu comportamento na sua presença." Ringo Starr completou: "Foram dias memoráveis, Eric era muito divertido."

https://youtu.be/VJDJs9dumZI

 

Agenda Setembro - SESI Birigui

https://pt.calameo.com/read/0040614657aefabad4c58


O Araçatuba e Região não se responsabiliza pelas notícias de terceiros.
Entre em contato através do telefone ou whatsapp a seguir e saiba como anunciar aqui
(18) 99774 5888
Copyright © 2018 Política e Mais. Todos os direitos reservados.