ARAÇATUBA | 14 DEZEMBRO
| 12:59 | 21° MIN 34°MAX |
Poss. de Panc. de Chuva a Tarde - Fonte: CPTEC/INPE
CIDADES
Anunciante
LUTA PELA VIDA
Aos 34 anos e pai de 3 filhos, gerente procura doador de medula óssea
Anunciante

A família do guararapense Thiago Marini Wilfer, 34 anos, luta contra o tempo para salvar a sua vida. Ele tem leucemia e precisa de um transplante de medula óssea urgentemente. Na tentativa de sensibilizar possíveis doadores, familiares e amigos realizam campanhas nas redes sociais para incentivar o cadastro no Redome (Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea), por meio dos hemonúcleos espalhados pelo País.

O drama de Thiago, que trabalha como gerente de uma loja de purificadores de água, começou na virada do ano de 2016 para 2017, quando passava o Réveillon em sua terra natal. Fazia alguns meses que sofria de dores nos braços, mas a desconfiança era de que fosse tendinite. Já tinha perdido seis quilos naquele mês, mas achava que fosse a correria do dia a dia. Na passagem do ano, porém, passou a sentir fortes dores na barriga e a festa se transformou em pesadelo.

Ao chegar a Sorocaba, cidade onde vive com a esposa, Marina, 34, e os filhos Bianca, 11 anos, Nicolas, 10, e Matteo, 3, foi levado para o hospital e um exame de sangue acusou o diagnóstico: leucemia. Seu baço estava muito aumentado e ele foi internado imediatamente, ficando 44 dias no hospital.

Desde então, tem enfrentando as batalhas impostas pela doença. Já passou por sessões de quimioterapia e esteve entre a vida e a morte duas vezes.

Uma delas, na primeira internação, quando teve colite neutropênica (lesão inflamatória no intestino grosso que pode levar à morte), por causa da baixa imunidade. Na época, passou dos 83 kg para os 69 kg. A segunda ocorreu recentemente, quando precisou tomar uma forte dose de quimioterapia, os seus rins paralisaram e precisou ser submetido a hemodiálise.

“Eu costumo dizer que ele é muito forte, porque já passou por situações muito difíceis. Temos fé de que vamos entrar um doador compatível para que ele seja curado definitivamente”, afirma a esposa, Marina.

Ela conta que, após o tratamento de quimioterapia, o marido conseguiu zerar a doença, em abril de 2017. No entanto, em julho deste ano, começou a passar mal novamente, com dor de cabeça, tontura e vômito. Era a doença que tinha voltado. Thiago está internado em Sorocaba para controlar a doença até o dia do transplante, que é o único meio de vencer a doença e salvar a sua vida.

“Isso é desesperador. Ele é uma pessoa sensacional, as crianças são loucas por ele. Precisamos de um doador compatível o mais rápido possível”, afirma Marina. Ela faz um apelo para que todos compareçam ao hemonúcleo mais próximo de sua residência e se cadastrem como doadores de medula óssea.

Caso não encontrem um doador 100% compatível, o plano B são os familiares. No entanto, seus pais têm mais de 60 anos, o que inviabiliza a doação, e sua irmã só tem 50% de compatibilidade, o que reduz as chances de o transplante ser bem-sucedido. “Neste caso, a probabilidade de dar certo cai para menos de 40%”, afirma Marina.

Os pais de Thiago, Marco Antônio Wilfer e Maria Helena Wilfer, moram em Guararapes, onde são proprietários do Buffet Real. Toda a família está se mobilizando em campanhas pelas redes sociais em Guararapes, Araçatuba e Sorocaba, na tentativa de encontrar um doador para Thiago e salvar a sua vida.

CADASTRO

Para se cadastrar, basta ir a um hemonúcleo – na região, o mais próximo é o de Araçatuba, que fica na Avenida Arthur Ferreira da Costa, 330, Bairro Aviação. É preciso levar um documento com foto.

No local, é retirada uma amostra do sangue do doador, pela qual é analisada se há compatibilidade com algum paciente que precisa do transplante de medula. Em caso positivo, o candidato a doador é consultado se quer prosseguir com a doação. Para isso, é necessário passar por novos exames, inclusive uma avaliação clínica de saúde.

O procedimento para a doação da medula é simples e, em uma semana, o doador já está apto a voltar às suas atividades normais.

QUEM PODE DOAR

Para se tornar um doador de medula óssea é necessário:

– Ter entre 18 e 55 anos de idade.
– Estar em bom estado geral de saúde.
– Não ter doença infecciosa ou incapacitante.
– Não apresentar doença neoplásica (câncer), hematológica (do sangue) ou do sistema imunológico.
– Algumas complicações de saúde não são impeditivas para doação, sendo analisado caso a caso.

SERVIÇO

O Hemonúcleo de Araçatuba fica na Avenida Arthur Ferreira da Costa, 330, Bairro Aviação.

O horário de atendimento, às segundas-feiras, é das 8h às 19h; de terça a sexta, das 8h às 17h; e aos sábados, das 7h às 12h.

Mais informações pelo (18) 2102-9400


Anunciante
O Araçatuba e Região não se responsabiliza pelas notícias de terceiros.
Entre em contato através do telefone ou whatsapp a seguir e saiba como anunciar aqui
(18) 99774 5888
Copyright © 2018 Política e Mais. Todos os direitos reservados.