ARAÇATUBA | 12 DEZEMBRO
| 8:36 | 22° MIN 34°MAX |
Parcialmente Nublado - Fonte: CPTEC/INPE
CIDADES
Anunciante
FAZER O BEM
A Justiça, os atos do prefeito Dilador e as coincidências
Anunciante
A imprensa de Araçatuba noticiou, com pompa e circunstância, neste fim de semana, que o prefeito Dialdor Borges (PSDB) pagou na sexta-feira (10) as rescisões trabalhistas de 91 ex-trabalhadores comissionados do governo de seu inimigo político Cido Sério (PT). Diga-se de passagem, com atraso, não fez mais que sua obrigação como gestor uma vez que o outro não cumpriu o que lhe era devido.

A notícia, vista com deslumbre por alguns veículos, tem, na prática, um pano de fundo bastante diferente daquilo que se tentou mostrar à população. Que a atual gestão faz tudo certinho, que isso e aquilo. Ninguém fez menção nenhuma de que o time de Dilador tratou de pagar as indenizações, rapidinho, após a Justiça local receber uma representação assinada pelo ex-presidente do PT, Paulo César da Silva, o Paulão do PT, acusando o tucano de cometer irregularidades no caso.

Quem tira um minuto para analisar, percebe que, nos últimos dias, Dilador e seus técnicos - afinal ele disse que só trabalha com técnicos em cada uma das áreas de governo - tiveram ações relâmpagos após justamente determinados casos receberem alguma manifestação judicial ou por parte do Ministério Público.

Há uma semana, o MP recomendou que o chefe do Executivo revisse os contratos com três Oss (Organizações Sociais) que prestam serviços terceirizados ao município nas áreas de Saúde e Educação, por suspeitas de irregularidade.

No dia seguinte, o tucano reuniu representantes das prestadoras de serviços, parte de seu secretariado e anunciou que os contratos seriam rompidos. Detalhe é que ele disse que isso será feito à medida que a Prefeitura arranjar alguém pra botar no lugar. Não, não informou quando nem como pretende fazer isso.

Fez pior, disse que as três entidades, apontadas pelo MP como responsáveis por levar valores indevidos do município, podem participar de novas licitações para as mesmas atividades caso "se enquadrem" às novas regras. Como assim? Não foi Dilador quem disse que faria tudo diferente do PT?

Pelo que se vê, o tucano anda mais perdido que "amendoim na boca de banguela". Com todo respeito, só se passaram 42 dias de governo mas seu time, tirando pouquíssimas exceções, não mostrou de fato a que veio. Na maioria dos setores, falta o primordial: conhecimento político. O discurso da probidade não basta, deva ela ser obrigação de qualquer gestor.

Dilador, em casos que chegaram ao MP, até agora, só não tomou providência esperada na quastão dasecretária de Cultura Marly Garcia, que causou um dano do município, hoje reconhecidamente por ela mesma da ordem de R$ 64 mil, e ainda saiu premiada pelo tucano. Foi contratada, teve sua dívida parcelada em 90 vezes e o pior, com o direito de os valores serem descontados nos próprios salários.

No caso de Marly, para deixar bem claro, Dilador fez o seguinte: deixou o dano por ela de lado - o sumiço de 8 aparelhos de ar-condicionado -, a brindou com um salário de R$ 10.388,00 e com isso deixou a conta para a população pagar. Uma vez que os salários de todos os servidores são pagos na maior parte por tributos pagos pela população, os R$ 64 mil da dívida de Marly está, na verdade, sendo rateada entre os quase 200 mil habitantes. Ou seja, ela causou o prejuízo, conforme cravou o TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) em decisão de 2014, e quem está pagando a conta é o povo. Repetindo: QUEM PAGA A DÍVIDA DE MARLY GARCIA, POR DANO AO ERÁRIO, É O POVO. E Dilador e sua vice Edna Flor (PPS), que sempre combateu o "mal feito", concordam com isso. Simples assim.
Anunciante
O Araçatuba e Região não se responsabiliza pelas notícias de terceiros.
Entre em contato através do telefone ou whatsapp a seguir e saiba como anunciar aqui
(18) 99774 5888
Copyright © 2018 Política e Mais. Todos os direitos reservados.