ARAÇATUBA | 25 JUNHO
| 13:3 | 17° MIN 29°MAX |
Parcialmente Nublado - Fonte: CPTEC/INPE
POLÍTICA E ADMINISTRAÇÃO
FAZER O BEM
'Secretarias fantasmas' devem render ação popular e representação ao Ministério Público contra o prefeito Dilador Borges
O prefeito de Araçatuba, Dilador Borges (PSDB), deve ser questionado nos próximos dias, por meio de ação popular e uma representação que está sendo preparada para ser apresentada ao Ministério Público, por conta da atual administrativa do município. O motivo são "secretarias fantasmas" que o tucano divulgou que seriam extintas mas que, na prática, continuam existindo e com apadrinhados nomeados aos montes em suas estruturas.

O problema, conforme um grupo de advogados informou ao Política e Mais, é que Dilador prometeu cortar secretarias mas, na prática, não o fez. O tucano, na prática, maquiou a estrutura de seu governo para ter condições de abrigar aliados políticos em cargos apadrinhados.

A leitura é de que Dilador juntou pastas sob o comando de um único secretário e acabou nomeando servidores para cargos que já não deveriam mais existir nos quadros da Prefeitura. O jeito do tucano de governar pode configurar improbidade administrativa - cuja essência significa desonestidade com a gestão do dinheiro público.

Ao juntar chefia de Gabinete com Administração; Governo com Comunicação; Meio Ambiente com Turismo; Desenvolvimento Econômico com Agroindustrial; Assistência Social com Participação Cidadã e Planejamento com Mobilidade Urbana, o prefeito que tanto propagou que "Araçatuba Merecia Respeito" em sua campanha eleitoral, acaba enganando seu eleitorado e, por tabela, toda a população.

De acordo com advogados que avaliam o caso, Dilador não poderia ter nomeado chefes de gabinete, assessores executivos e diretores para as secretarias que prometeu "eliminar" ou "reorganizar" em sua gestão: no caso: Comunicação, Turismo, Participação Cidadã, Desenvolvimento Econômico e Mobilidade Urbana.

"O que se observa, pelos editais de nomeações publicados no Diário Oficial, é que temos um conjunto de secretarias sendo comandadas por um mesmo secretário. Logo, para quê ele precisa de dois chefes de gabinete, se o lugar que fica é um só? Qual a necessidade de mais de um assessor executivo e de tantos diretores? O governo municipal deixa clara uma desorganização administrativa. Se em gestões passadas os administradores foram questionados e condenados por criarem cargos em exagero, essa maquiagem evidente também é ilegal. Por isso, vamos provocar o MP local ou mesmo a Procuradoria-Geral de Justiça de São Paulo", diz um dos advogados que estudam a questão.

A manutenção de "secretarias fantasmas" também tem gerado despesas ao município, uma vez que algumas delas estão instaladas em prédios que são alugados pela Prefeitura, com valores mensais salgados e que poderiam ser revertidos em benefícios à população.
Anunciante
O Araçatuba e Região não se responsabiliza pelas notícias de terceiros.
Entre em contato através do telefone ou whatsapp a seguir e saiba como anunciar aqui
(18) 99774 5888
Copyright © 2018 Política e Mais. Todos os direitos reservados.