ARAÇATUBA | 18 JUNHO
| 19:58 | 16° MIN 28°MAX |
Pancadas de Chuva a Tarde - Fonte: CPTEC/INPE
ECONOMIA E AGRONEGÓCIO
GREVE DOS CAMINHONEIROS
"População deveria ter ajudado mais, mas preferiu encher o tanque"

Os caminhoneiros de Araçatuba e região acreditam que faltou apoio da população para o movimento deles, preferindo formar extensas filas nos postos de combustíveis do que colaborar com a paralisação da categoria, que teve início no dia 21 de maio e segue, ainda que timidamente, nesta quarta-feira.

“Se a população tivesse apoiado a gente desde o início, teríamos conseguido atingir o nosso objetivo em poucos dias. Em vez disso, as pessoas preferiram ficar por mais de cinco horas nas filas dos postos de combustíveis”, afirma o caminhoneiro autônomo Odair Marques, o Ferrugem.

A mobilização, no entanto, perdeu força nas estradas e nos postos à margem das rodovias, onde os caminhoneiros se concentraram para reivindicar a isenção de impostos nos combustíveis e redução nos preços do óleo diesel, gasolina, etanol e gás de cozinha; frete mínimo; fim dos pedágios para os caminhões com eixo erguido, dentre outros benefícios.

Na noite desta quarta-feira, cerca de 30 caminhoneiros permanecem no pátio do Posto Cacique, em Araçatuba. No entanto, eles estão se organizando para seguir até Brasília nesta quinta-feira. A previsão é de que 70 caminhoneiros sigam para lá de cavalinhos (caminhões sem a carreta), para reforçar o movimento dos trabalhadores autônomos, que querem ser ouvidos pelo governo federal.

Nesta quarta, o líder do movimento no Brasil, Chorão, não foi recebido pelo presidente e convocou os caminhoneiros para “invadir” a capital federal. “O Temer diz que vivemos uma democracia, mas não quis nem falar com os autônomos”, disse Ferrugem.

Em Araçatuba, um encontro está previsto para as 9h desta quinta-feira (31), feriado de Corpus Christi, nas avenidas Brasília e Pompeu de Toledo.

PEDÁGIOS

À zero hora desta quinta, começa a valer a resolução que vai isentar os caminhões vazios com eixo suspenso do pagamento de pedágios nas estradas paulistas, conforme prometido pelo governador do Estado de São Paulo, Márcio França (PSB).

O governo não informou se haverá compensação desta isenção para as concessionárias. “Com a medida implantada, a Artesp fará a devida apuração de valores de desequilíbrio das concessionárias e, a partir da semana que vem, estabelecerá contatos com todas para definir a melhor forma de equilíbrio”, afirmou a assessoria de imprensa da Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo).

FRETE MÍNIMO

A ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) publica, nesta quinta-feira (31), a Resolução 5.820, que apresenta a tabela com os preços mínimos referentes ao quilômetro rodado na realização de fretes, por eixo carregado.

O frete mínimo era uma das reivindicações dos caminhoneiros que foi acatada pelo governo na tentativa de acabar com a paralisação. A tabela é obrigatória para o mercado de fretes do País.

As tabelas estão divididas em carga geral; a granel; frigorificada; perigosa e neogranel. A metodologia utilizada para definição dos preços mínimos, segundo a ANTT, baseou-se no levantamento dos principais custos fixos e variáveis da cadeia de transporte.

Os valores terão validade até 20 de janeiro de 2019. A partir daí, novas tabelas deverão ser publicadas até os dias 20 de janeiro e 20 de julho de cada ano e serão válidas para o semestre em que forem editadas.

A tabela pode ser conferida no site www.antt.gov.br

 


Anunciante
O Araçatuba e Região não se responsabiliza pelas notícias de terceiros.
Entre em contato através do telefone ou whatsapp a seguir e saiba como anunciar aqui
(18) 99774 5888
Copyright © 2018 Política e Mais. Todos os direitos reservados.